Seguidores

domingo, 3 de dezembro de 2017

SAMBURÁ

Alexandre  ď Oliveira

Realmente, e desde já eu posso dizer que me estresso quando algo não sai perfeito e eu nada tenho a ver com isto.  Assim será  a minha tese de hoje.  
Irei dissertar sim. Mesmo que neste eu esteja bem. Vou falar pra dedel das coisas que vem do coração e mostrar para cada amigo que eu tenho por ele estima, e consideração. Mas se por acaso eu erre uma virgula , não tem problema, se não for amor, vira paixão.  Paixão  por algo que seja bonito, . Paixão que faz algo bom vir em forma  de admiração, e quem sabe a partir dai, uma nova conquista esteja aonde estiver  é fonte de inspiração. 
Eu vejo que muitos têm compreendido, e destes fazem alguma reflexão.  Porém, eu acredito que o bom mesmo é estarmos em comunhão, defendendo cada feito que se propõe ao nosso irmão.  Pois como é dito: de que vale um mar se não és  compreendido pelos teus.
Tanto que aproveito o momento da deixa quando ela diz que casamento é uma armadilha: fácil de entrar, e poucos conseguem sair ilesos sem se machucar. Casamento não é brinquedo. E incompatibilidade de gênios não  é mais segredo. Ora vista que têm mulheres que gostam de enfeitar o samburá e deixa o homem devanear com o que já não lhe e  permitido.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens mais visitadas

A Caverna

Google+ Followers

Follow by Email